por Tadeu Salgado (*)

No Brasil, muita gente ainda tem preconceito e medo de visitar cemitérios. Consequentemente, muitos estão abandonados e a área em volta deles é desvalorizada.  Não é à toa que notícias como roubos e depredação de túmulos são frequentes. Além disso, muitas pessoas aproveitam os cemitérios vazios para usar drogas e até fazer sexo.

Muita gente não sabe, mas os cemitérios são muito importantes, pois além de serem ricos em obras de arte, possuem valor histórico, religioso, social e filosófico. Eles dão uma dimensão de conhecimento muito grande para a gente.

Na Europa, é costume ir a cemitérios para passear, orar e fazer pesquisas. Alguns cemitérios são pontos turísticos. Podemos citar, como exemplo, o Cemitério do Père-Lachaise, em Paris. Os visitantes, além de ter o privilégio de explorar o patrimônio artístico e arquitetônico, podem buscar túmulos de famosos que estão sepultados lá. Personalidades como Oscar Wilde, Chopin, Jim Morrison, Edith Piaf, Allan Kardec, Maria Callas, Pedro Abelardo, Molière, entre outros, estão enterrados lá.

Situado em uma das áreas mais nobres e valorizadas de Buenos Aires, o cemitério da Recoleta é um dos mais visitados do mundo. Alguns túmulos e mausoléus são verdadeiras obras de arte. Nele é possível observar, pelos túmulos, o poder das famílias e das posições políticas na Argentina. Eva Perón, ex-primeira dama da Argentina e vários ex-presidentes estão sepultados no cemitério da Recoleta.

 

Cemitério da Recoleta, Buenas Aires.

A maioria dos cemitérios são gratuitos para visitação. Alguns, como o Cemitério São João Batista, no Rio, e o Cemitério da Consolação, em São Paulo oferecem visita guiada. Outros, como o Greyfriars Kirkyard, em Edimburgo, tem até tour noturno.

 

O canal no YoutubeViajante Pão Duro‘ fez um vídeo sobre a importância do turismo em cemitérios. Assista ao vídeo e entenda um pouco dos detalhes e símbolos que estão no cemitério municipal de Varginha/MG e suas histórias.

 

 

(*) Tadeu Salgado é produtor cultural na UFFS Campus Cerro Largo/RS. Mantém um canal no Youtube, o ‘Viajante Pão Duro’, com dicas sobre como sobreviver no exterior com pouco dinheiro. Também é autor do livro “Como Sobreviver no Exterior”, comercializado pelas principais livrarias do Brasil. Contato pelo email tadeu.salgado@uffs.edu.br.

Pin It on Pinterest

Share This