Minha Mãe, Minha Filha foi o preferido pelo Júri Popular.

TRÊS PASSOS (RS) – Foram cinco dias de muita atividade cultural. Exibição de filmes locais e regionais. Homenagem e palestra com o cineasta/professor Carlos Gerbase. Sessões: Integração entre Festivais, Infantil, Melhor Idade. Cerimônia de abertura oficial com estreia do filme Cine Globo: uma vida de cinema (Carlos Grün e Christian Jafas), contando a saga da família Levy e a resistência para manter o Cine Teatro Globo em funcionamento há mais de 60 anos.

 Mostra Competitiva – A recepção de jurados, realizadores e equipes traz outro espírito ao Festival. Inicia a Mostra Competitiva, na qual 62 curtas selecionados pela Curadoria dentre os mais de setecentos inscritos disputam o troféu Levy, obra do artesão Mauro Rückert, em homenagem ao fundador do Cine Globo, Alberto Abrahão Levy.

Após cada uma das cinco sessões, o debate entre os realizadores e demais presentes flui em clima de integração e troca de experiências. Muito se aprendeu sobre cinema e cultura nos momentos de bate papo.

Trabalharam incansavelmente no Júri Oficial, Márcia do Canto, Christian Jafas e João Luís Martínez.

Finalmente, na noite de sábado foram conhecidos os filmes premiados. Em cerimônia musical com a banda EMG, no primeiro momento foram entregues os troféus “Amigos do Festival” a Christian Jafas, Henrique Lahude, Márcia do Canto, Jonatas Rubert, Alexandre Derlan, João Luís Martínez e Daniel Feix. Na sequência o anúncio/premiação aos vencedores nas 17 categorias da Mostra Competitiva.

Compromisso com a educação – O universo educacional/comunidade, produziu e exibiu obras de curta-metragem pelo Projeto #Cidade Cinematográfica Ano 2.

– O anúncio dos filmes premiados valorizou estudantes de Escolas Municipais, Estaduais e autoridades envolvidas no Projeto.

A integração entre comunidade, realizadores, atores e músicos continuou no Clube Aliança, com coquetel e show das bandas D´Olho no Molho e Empecílios, com participação especialíssima de Maiuze Dobler e do carioca Rogério Castro no vocal e de todos na dança/vocal.

O Festival agradece as presenças de:

Rodolfo de Castilhos Franco – filme Inatingível (RS);

  • Monica Rodrigues Klemz – filme Três Viajantes Sobre um Mar de Fragmentos (RJ);
  • Alexandre Derlan, Monique Mendes, Angelo Gomes e Alex Kanoff – filme Railander (RS);
  • Tatiana Goldberg – filme Pelos Velhos Tempos (RS)
  • Estela Lapponi – filme ProfanAÇÃO (SP);
  • Rogerio Cavalcante e Castro – filme Toda Cidade Anda Esquecida (RJ);
  • Henrique Lahude, Gustavo Foppa e Jonatas Rubert – filme Fè Mye Talé (RS);
  • Luiz Alberto Cassol – filme GRITO (RS);
  • Diego Tafarel – filme Através de Ti (RS)

 

Confira a seguir a lista dos premiados.          

Melhor Desenho de Som: RODOLFO DE CASTILHOS FRANCO

Filme: INATINGÍVEL

Estado de origem: Rio Grande do Sul

Melhor Direção de Arte: LUIZ ÁUREO

Filme: MINHA MÃE, MINHA FILHA

Estado de origem: São Paulo

Melhor Edição: IVAN DE ANGELIS

Filme: ABISMO

Estado de origem: Rio de Janeiro

Melhor Trilha Musical: BEBETO ALVES

Filme: RAILANDER

Estado de origem: Rio Grande do Sul

Melhor Fotografia: MARCO ANTONIO NUNES

Filme: SEM ABRIGO

Estado de origem: Rio Grande do Sul

Melhor Roteiro: ROBERTA ALVES E CHICO MAXIMILA

Filme: O ILUSIONISTA SONORO

Estado de origem: Rio Grande do Sul

Melhor Atriz: REJANE ARRUDA

Filme: SEM ABRIGO

Estado de origem: Rio Grande do Sul

Melhor Ator: JURANDIR DE OLIVEIRA

Filme: ABISMO

Estado de origem: Rio de Janeiro

Melhor Direção: HENRIQUE LAHUDE e ALIX GEORGES

Filme: FÈ ME TALÈ (TUDO VAI FICAR BEM, LOGO)

Estado de origem: Rio Grande do Sul

Melhor Curta Estrangeiro: FROM ON HIGT (DO ALTO)

Direção: DAWN WESTLAKE

País de Origem: ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA

Melhor Curta Temática Ambiental: FANTASIA DE ÍNDIO

Direção: MANUELA BEZERRA GOUVEIA DE ANDRADE

Estado de origem: PERNAMBUCO

Melhor Curta Experimental: ProfanAÇÃO

Direção: ESTELA LAPPONI

Estado de origem: São Paulo

Melhor Curta de Animação: O MALABARISTA

Direção: IURI MORENO CHAVES PEREIRA

Estado de origem: Goiás

Melhor Curta Documentário: A GIS

Direção: THIAGO CAVALHAES

Estado de origem: São Paulo

Melhor Curta de Ficção: SEM ABRIGO

Direção: LEONARDO REMOR

Estado de origem: Rio Grande do Sul

Melhor Curta Júri Popular: MINHA MÃE, MINHA FILHA

Direção: ALEXANDRE ESTEVANATO

Estado de origem: São Paulo

Melhor Curta do Festival: SEM ABRIGO

Direção: LEONARDO REMOR

Estado de origem: Rio Grande do Sul

MENÇÃO HONROSA – Foi atribuída Menção Honrosa pelo Júri Oficial aos curtas “PELE SUJA, MINHA CARNE”, de Bruno Ribeiro (RJ), “GRITO”, de Luiz Alberto Cassol (RS), “ANTES QUE O TEMPO ME ESQUEÇA“, de Leo Goodgod e Paulo Rodrigues (AM), e “MENINAS FORMICIDA”, de João Paulo Miranda Maria (SP).

Pin It on Pinterest

Share This